Tratamentos Faciais – Melasma

O Melasma é causado por vários fatores: predisposição genética, alterações hormonais (gravidez e uso de anticoncepcionais), entre outros. É fundamental, entretanto, a presença da radiação ultravioleta e, em menor intensidade, o infravermelho. O aumento na pigmentação ocorre por um aumento da quantidade e/ou da função dos melanócitos que são as células responsáveis pela produção de melanina (pigmento cutâneo).

Existem três tipos de Melasma: superficial, profundo e misto; sendo os dois últimos os mais difíceis de tratar.

Para o tratamento do Melasma é fundamental o uso de protetores solares potentes sempre que houver exposição da pele ao sol ou mormaço, de preferência os protetores que contenham filtros físicos, que bloqueiam a passagem da radiação UV, como o dióxido de titânio.

O tratamento é feito com o uso de substâncias despigmentantes, aplicadas na pele. A associação dos despigmentantes com alguns tipos de ácidos geralmente aumenta a sua eficácia. Quando o pigmento se localiza mais profundamente, a melhora é mais difícil, exigindo persistência para a obtenção de um bom resultado.

Peelings superficiais podem acelerar o processo, facilitando a penetração dos despigmentantes e ajudando a remover o pigmento das camadas superiores da pele. O uso do laser fracionado não ablativo tem mostrado excelentes resultados no tratamento do Melasma.